Desenvolvimento Económico e Social

Cerca de metade da população mundial vive ainda com o equivalente a cerca de 2 dólares por dia e em muitos zonas do mundo, ter um emprego não garante a capacidade para escapar da pobreza. Este progresso lento e desigual tem levado a uma reflexão e a um repensar das políticas económicas e sociais que visam a redução da pobreza mundial para metade até 2030 (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável). A falta contínua de oportunidades de trabalho digno e níveis de investimento e consumo insuficientes têm contribuído para a erosão do contrato social básico subjacente às sociedades democráticas.

Os compromissos assumidos pela comunidade global para promoção da inclusão social e do emprego como base para a redução da pobreza e o respeito pelos princípios e direitos fundamentais no trabalho devem ser revistos de forma a que os benefícios do progresso possam ser partilhados por todos. A abordagem da OIT sublinha o crescimento económico como condição essencial, mas não suficiente, para a redução da pobreza. A redução da pobreza envolve crescimento com uma reorientação substancial a favor das pessoas pobres e inclui mudanças nas instituições, leis, regulamentos e práticas que fazem parte do processo que tem contribuído para a criação e perpetuação da pobreza.

Mais informação no sítio global da OIT sobre este tema (em EN)

Documentação em PT: