UE e OIT reforçam cooperação para recuperação justa da crise

Notícias | 26 de Fevereiro de 2021
Fotografia de Guy Ryder em conferência online

A OIT e a UE reforçam cooperação para delinear o futuro do trabalho e promover o trabalho digno, apoiando as suas respostas ao impacto da crise do coronavírus no mundo do trabalho.

A Comissão Europeia e a OIT assinaram uma renovada troca de cartas a 4 de Fevereiro, atualizando o quadro da sua cooperação de longa data, iniciada e 1958. Este é o terceiro acordo formal, na sequência de anteriores trocas de cartas em 1989 e 2001.

Por ocasião da troca de cartas, o Diretor-Geral da OIT, Guy Ryder, e o Comissário da UE para o Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit, confirmaram a sua cooperação numa série de assuntos prementes.

Nicolas Schmit referiu que: "O mundo do trabalho está a mudar profundamente. A pandemia está a ter um imenso impacto no emprego e nos assuntos sociais. A digitalização e as alterações climáticas transformam o quê, onde e como do nosso trabalho. Temos de agir agora e aproveitar a dinâmica para enfrentar estes importantes desafios, mas ao mesmo tempo temos de assegurar que incorporamos a dimensão social na transição. Espero continuar a nossa boa cooperação com a OIT para construir um futuro melhor de trabalho na UE e em todo o mundo".

Guy Ryder afirmou: "A nossa parceria com a Comissão Europeia é muito valiosa para nós. Numa altura em que o mundo do trabalho enfrenta tantos desafios, precisamos de unir forças para uma abordagem centrada no ser humano para o futuro do trabalho. Estou ansioso por continuar a nossa forte parceria".

A UE e a OIT cooperam numa vasta gama de tópicos e colocam as pessoas no centro da sua abordagem ao futuro do trabalho. Ambas as organizações têm um compromisso comum com o multilateralismo e asseguram uma transição justa para um futuro de trabalho sustentável.

A cooperação mutuamente benéfica entre a UE e a OIT tem conduzido a resultados tangíveis. Juntas, a OIT e a UE ajudaram recentemente a melhorar as condições de trabalho nos setores marítimo e das pescas. Promovem igualmente o trabalho digno (por exemplo, nas cadeias de fornecimento globais), princípios e direitos fundamentais no trabalho, diálogo social, proteção social, segurança e saúde no trabalho, igualdade de género, competências e emprego jovem.

A OIT apoiou igualmente a UE na implementação da sua Garantia Jovem, que ajuda os jovens em toda a UE a melhorar as suas hipóteses de encontrar um emprego.

A UE e a OIT estão empenhadas em intensificar a sua cooperação para melhorar as condições de vida e de trabalho em todo o mundo, promover os direitos humanos e contribuir para acabar com a pobreza, não deixando ninguém para trás.