OIT lança iniciativas sobre empregos verdes para jovens e ferramentas de financiamento para uma transição justa na COP27

Durante a primeira semana da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, a OIT lançou uma parceria ousada para acelerar a criação de empregos verdes para a juventude, bem como a Ferramenta de Financiamento da Transição Justa para Atividades Bancárias e de Investimento e abriu o Pavilhão da Transição Justa.

Notícias | 11 de Novembro de 2022

Genebra (Notícias da OIT)- A Organização Internacional do Trabalho (OIT) lançou o primeiro Pacto de Empregos Verdes para Jovens na Conferência sobre Mudanças Climáticas no Egito – também conhecida como COP27.

O Pacto da Juventude (Youth Pact), uma parceria com a ONU e outras agências, visa preencher a lacuna de habilidades para jovens em países em desenvolvimento e aborda setores vulneráveis ao clima. Suas metas incluem a criação de um milhão de empregos verdes, o apoio ao ecologização de um milhão de empregos existentes e a ajuda a 10.000 empreendedores verdes.

O Pacto faz parte do trabalho da OIT para promover uma Transição Justa para um futuro mais sustentável e verde. Reúne a OIT, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Comissão Europeia, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e o grupo de crianças e jovens da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (YOUNGO) e o LinkedIn.

Durante a cerimônia de lançamento, em 9 de novembro, Moustapha Kamal Gueye, coordenador Global de Empregos Verdes da OIT, lembrou aos e às participantes que “os investimentos na economia verde, incluindo energia limpa e renovável, construção, agricultura sustentável, criarão 8,4 milhões de empregos para jovens pessoas até 2030.”

Em 10 de novembro, a OIT, juntamente com a London School of Economics Grantham Research Institute for Climate Change and Environment, lançou a Ferramenta de Financiamento da Transição Justa para Atividades Bancárias e de Investimento (Just Transition Finance Tool on Banking and Investment Activities).

A iniciativa visa fornecer às instituições financeiras informações sobre conselhos objetivos, práticas emergentes e links para recursos relevantes sobre como incorporar a ótica da transição justa em suas operações, em alinhamento com o Acordo de Paris. Ela se concentra nas atividades bancárias e de investimento e descreve os pontos de entrada para uma integração sistemática de considerações sociais na abordagem das instituições financeiras para uma transição justa.

Falando no lançamento, Vic Van Vuuren, diretor do Departamento de Empresas da OIT, disse: “estamos vendo os pioneiros, estamos vendo ações concretas vindas do setor financeiro. Mas para passar do atual estágio incipiente para a geral, o setor pode se beneficiar de mais orientações. Confiamos que a ferramenta apoiará a implementação de medidas tangíveis.”

O lançamento foi realizado no Pavilhão de Transição Justa da OIT na COP27. O Pavilhão, o primeiro de seu tipo, foi inaugurado oficialmente por Eric Oechslin, diretor da Equipe de Trabalho Decente e Representação do Cairo, Joost Korte, diretor-geral de Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão da Comissão Europeia, e James Grabert, diretor de Mitigação da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). .

O evento de abertura, que reuniu representantes de alto nível de governos, organizações internacionais e parceiros sociais, destacou o papel fundamental do novo Pavilhão em fornecer uma plataforma para negociadores e todos os atores da COP se envolverem de forma construtiva para apoiar o processo da UNFCCC.

O Pavilhão também abriga um Centro de Conhecimento para aumentar o compartilhamento de conhecimento e promover trocas entre os profissionais da transição justa e os atores interessados.