Novo diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho é eleito

O Conselho de Administração da OIT elegeu Gilbert F. Houngbo como o 11º diretor-geral da Organização, que assumirá o cargo em outubro de 2022.

Notícias | 25 de Março de 2022
GENEBRA (Notícias da OIT) – O próximo diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT) será Gilbert F. Houngbo, do Togo.

Houngbo é atualmente presidente do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Ele foi eleito pelo Conselho de Administração da OIT, composto por representantes de governos, trabalhadores e empregadores, durante sua reunião em Genebra. Ele será o 11º diretor-geral da OIT e o primeiro africano a ocupar o cargo.

Falando após sua eleição, Houngbo disse: “Embora minhas origens sejam africanas, minha perspectiva é global. Em uma época, infelizmente, de divisão, o meu compromisso de ser um diretor-geral unificador mantém-se firme... Serei o diretor-geral de ninguém e o diretor-Geral de todos. Tanto os governos, como os empregadores e os trabalhadores, de todas as regiões do mundo, podem e devem contar com minha total prontidão para representar e defender as opiniões de todos os constituintes tripartites da organização.”

“Comprometo-me a representar as vozes daqueles que confiam em nós na OIT. Estou pensando nos quatro bilhões de pessoas ao redor do mundo que não têm acesso à proteção social. Estou pensando nos mais de 200 milhões de mulheres e homens que enfrentam o desemprego. Os 160 milhões de crianças em trabalho infantil. Os 1,6 bilhão de pessoas no setor informal. As empresas, particularmente as pequenas e médias empresas, que estão enfrentando interrupção ou fechamento da cadeia de suprimentos devido a crises, incluindo pandemia, mudança climática e conflito armado. Estou pensando nas mulheres e homens que enfrentam discriminação, violência e assédio no local de trabalho e em outros lugares. Todas essas são expressões da injustiça social inaceitável que somos moralmente, se não legalmente obrigados a combater”.

O mandato de cinco anos do novo diretor-geral começará em 1º de outubro de 2022. O atual diretor-geral, Guy Ryder, do Reino Unido, ocupa o cargo desde 2012.

O Conselho de Administração da OIT é composto por 56 membros titulares (28 Governos, 14 Empregadores e 14 Trabalhadores) e 66 membros suplentes (28 Governos, 19 Empregadores e 19 Trabalhadores). Os membros Empregadores e Trabalhadores são eleitos individualmente. A OIT é a agência especializada mais antiga da ONU. Foi fundada em 1919 e tem o mandato de promover o trabalho decente para todas as pessoas. Tem 187 Estados membros.

Havia cinco pessoas candidatas ao cargo de diretor-geral da OIT. As outras pessoas candidatas eram:
  • Kang Kyung-wha (República da Coreia); ex-ministra das Relações Exteriores da República da Coreia, vice-diretora-geral de organizações internacionais coreanas e vice-alta-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos.
  • Mthunzi Mdwaba (África do Sul); ex-vice-presidente dos Empregadores do Conselho de Administração da OIT e vice-presidente para a OIT, Organização Internacional de Empregadores.
  • Muriel Pénicaud (França), atualmente embaixadora e representante Permanente da França junto à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e ex-ministra do Trabalho da França.
  • Greg Vines (Austrália), atualmente vice-diretor-geral da OIT responsável pela Gestão e Reforma, e anteriormente ministro (Trabalho) da Missão Permanente da Austrália junto às Nações Unidas em Genebra e presidente do Conselho de Administração da OIT.