COVID-19: Proteger as pessoas mais vulneráveis

A sala de aula aumentou: Cozinha&Voz Web lança segunda turma online de curso de capacitação profissional

Iniciativa faz parte de um amplo projeto de promoção da empregabilidade de pessoas em situação de exclusão socioeconômica, lançado pela OIT e pelo MPT, e conta com apoio da Casa Poema, da chef de cozinha Paola Carosella e do UNAIDS

Notícias | 22 de Julho de 2020

Aula inaugural da segunda turma do Cozinha&Voz web
Brasília – Para alunos e professores, o primeiro dia de aula é sempre uma combinação de entusiasmo, planos para o futuro e expectativa. E foi isso o que se viu na sala de aula virtual do curso promovido pelo projeto Cozinha&Voz, que lançou a segunda turma online na última segunda-feira (20).

“Eu estou muito emocionado, sou o único aluno transexual da minha faculdade e adoro aprender. Espero aprender sobre dança, poesia, música, e o que mais gosto, a culinária”, disse Klaus Antônio Miranda, estudante de turismo de 20 anos e aluno do Cozinha&Voz de Brasília.

Klaus Miranda, aluno de Brasília
Klaus faz parte da turma de 50 alunos e alunas, homens e mulheres transexuais de Brasília, São Paulo e Espírito Santo. Assim como Klaus, muitas dessas pessoas estão desempregadas e, em meio e apesar da pandemia, buscam garantir a capacitação profissional.

Dados do IBGE apontam um aumento de 26% no número de desempregados no Brasil só entre a primeira semana de maio e a quarta semana de junho, durante a pandemia da COVID-19. São dois milhões e 600 mil brasileiros que perderam o emprego em apenas sete semanas.

Geração de renda, com trabalho decente

O Cozinha&Voz faz parte de uma ampla iniciativa de promoção do trabalho decente para pessoas em situação de vulnerabilidade, desenvolvida pela OIT e pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), com apoio da chef Paola Carosella e da Casa Poema.

Criado na forma de aulas presenciais em 2017, o projeto promove a capacitação profissional por meio de um curso de assistente de cozinha, visando aumentar a empregabilidade de pessoas em situação de exclusão e vulnerabilidade socioeconômica. A primeira turma da versão online do Cozinha&Voz foi lançada em abril passado e conta ainda com o apoio do UNAIDS.

Thaís Faria, oficial Técnica de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, da OIT
“A possibilidade de começar uma segunda turma do Cozinha&Voz Web, demonstra os bons resultados que conseguimos na primeira turma. Seguramente, começamos essa segunda turma com mais experiência e muito mais segurança de fazer um trabalho que seja acolhedor, mas forte o suficiente para proteger as pessoas durante a pandemia e garantir que elas possam sair desse período com geração de renda, com emprego, de uma maneira decente e que possam retomar suas vidas e contribuir com o crescimento social”, disse Thaís Faria, oficial Técnica de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, da OIT.

Os alunos e as alunas irão participar de aulas diariamente ministradas online, por um período de três meses. Cada participante recebe também uma bolsa de auxílio mensal no valor de 500 reais durante todo o curso, com a contrapartida de participar dos cursos e permanecer em isolamento.

Utilizando videoconferência, conversas e aulas virtuais, o projeto oferece aulas de música, dança, poesia, palestras e debates com temas importantes como saúde, racismo estrutural, discriminação e violência contra a população LGBTQI+. Especialistas, procuradores do MPT de vários estados, representantes do UNAIDS e da OIT participam de palestras com a turma.

Além disso, a experiência reunida na implementação do projeto Cozinha&Voz no formato virtual levou à criação de novos módulos do curso: o Roda de Leitura, no qual a turma faz leitura comentada de um livro; e o Troca de Saberes, onde um(a) aluno(a) compartilha uma habilidade ou um conhecimento com os (as) colegas. O Cozinha&Voz também trouxe para a versão a distância o apoio e cursos do SEBRAE que ensinam e estimulam o empreendedorismo.

Adriane Araújo, Coordenadora Nacional de Coordigualdade do MPT.

 

Empregabilidade contra a exclusão


A aula inaugural da segunda turma do curso contou também com as presenças de 10 procuradores(as) do MPT do Espírito Santo, do Distrito Federal, do Rio Grande do Sul e de São Paulo, entre eles, a vice-coordenadora Nacional do MPT, Ana Lúcia Gonzales e a coordenadora Nacional de Coordigualdade, da Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho do MPT, Adriane Reis de Araújo.

“É um trabalho relevante e a gente espera, com projetos como este, promover a empregabilidade e a transformação da sociedade”, disse Adriane Araújo.

A procuradora e Gerente do Projeto do MPT de Empregabilidade da População LGBTQI+, Sofia Vilela, destacou que procuradores de outros estados estavam assistindo á aula inaugural, pois há interesse de levar o projeto para outras localidades.

Sofia Vilela, Procuradora e Gerente do Projeto do MPT de Empregabilidade da População LGBTQI+
“É bem interessante porque nós discutimos empregabilidade, racismo estrutural e a parte lúdica, a dança, a música, a poesia. Agora, durante a pandemia, além disso tudo, tem a questão financeira, que o projeto traz para essa população vulnerável”, disse ela.

A subprocuradora-geral do Trabalho, Sandra Lia Simon, disse: “A gente estava tentando levar o Cozinha&Voz presencial para Brasília há algum tempo e não conseguia e estamos fazendo nesse novo formato, criativo, em um momento importante. ”

“Eu vinha há algum tempo observando o projeto e agora estou feliz porque o Cozinha&Voz chegou a Brasília. ”, reforçou o procurador do Distrito Federal e representante regional da Coordigualdade, Charles Silvestre.

Charles Silvestre, procurador do Distrito Federal e representante regional da Coordigualdade, Charles Silvestre.
Do Espírito Santo, a procuradora do MPT Sueli Teixeira Bessa, disse que espera conhecer cada um(a) dos alunos(as) de lá presencialmente em algum momento do projeto e que irá, sempre que possível, participar virtualmente das aulas.

A assessora de Apoio Comunitário do UNAIDS, Ariadne Ribeiro, falou sobre os temas que vai debater com a turma: infecções sexualmente transmissíveis, HIV e saúde mental.

“Quero muito construir conhecimento com vocês. Eu não estou aqui para ensinar, estou aqui para trocar conhecimento com vocês. ”, disse ela.

A coordenadora técnica do Cozinha&Voz, a atriz e poeta Elisa Lucinda, disse que a busca no projeto é que no futuro todos sejam representados na sociedade.

“Você luta contra a desigualdade, excluindo?! Não, não é possível. Nosso trabalho é mexer nas palavras, na voz de cada um na busca por uma representatividade mais justa.”