COVID-19: Proteger as pessoas mais vulneráveis

Cozinha&Voz: arte, conhecimento e capacitação online para promover a empregabilidade de pessoas em situação de vulnerabilidade

Em tempos de pandemia, curso utiliza aulas online para assegurar a profissionalização contínua de alunos e alunas

Notícias | 4 de Maio de 2020
Turma do Cozinha&Voz versão online

Brasília – “Tudo que o tem ocorrido com essa pandemia, talvez seja bom para que as pessoas também tenham um tempinho para pensar em si, para pensar em seus atos, suas ações. O que pode ser feito no futuro para um mundo melhor. De repente, a igualdade poderia ser um passo, ser um começo.”

Foi com essa reflexão que Hérida Heizel Siqueira, 45 anos, mulher trans e aluna da primeira turma do curso Cozinha&Voz na modalidade online, concluiu o primeiro mês de aulas a distância.

Hérida Heizel Siqueira, aluna da primeira turma do curso Cozinha&Voz Web
Hérida mora em Goiânia e trabalha fazendo artesanato e salgados, que vende de porta em porta e nos sinais de trânsito de sua cidade.
“Eu vivia muito triste porque o preconceito sempre existiu e está na minha vida desde que eu me entendo por gente. E isso me entristecia muito, porque as oportunidades nunca eram para mim.”,disse ela, que concluiu o curso na modalidade presencial em 2018.

“Voltar ao curso nesse momento significa que eu posso continuar me qualificando cada vez mais. Quero fazer uma faculdade de gastronomia e meu maior sonho mesmo, é escrever um livro.”

O Cozinha&Voz faz parte de uma ampla iniciativa de promoção do trabalho decente para pessoas em situação de vulnerabilidade, desenvolvida pela OIT e pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), com apoio da cozinheira Paola Carosella e da Casa Poema. Para garantir a capacitação contínua e treinamentos essenciais em tempos de COVID-19, a OIT e o MPT, realizadores do Cozinha&Voz, adotaram um plano de contingência para assegurar a profissionalização das(os) alunas(os), com um método inédito de aulas online ministradas por meio de ferramenta de videoconferência, conversas virtuais e outras alternativas de conexão.

Nas primeiras semanas do curso iniciado em abril, 50 alunos e alunas de Rondônia, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás, com idades entre 22 e 67 anos, participaram de aulas online de música, dança, orientações profissionais e poesia. A turma assistiu a palestra e tirou dúvidas sobre os impactos da COVID-19 sobre a saúde, com a assessora de Apoio Comunitário do UNAIDS, Ariadne Ferreira. Também participou de webinares com o gerente de RH dos restaurantes La Guapa, Mangiare e Arturito, William Luciano, a Procuradora do Trabalho em São Paulo e gerente do Projeto do MPT de empregabilidade da população LGBTQI+, Sofia Vilela, e com a Subprocuradora-Geral do Trabalho, Sandra Lia Simon, sobre temas como mercado de trabalho e como denunciar situações de discriminação da população trans no local de trabalho.

Geovana Pires, Coordenadora-geral do Cozinha&Voz.
“Fazer um projeto como o Cozinha&Voz online, um projeto cuja ferramenta é o material humano, é um desafio e a gente conseguiu isso com uma rapidez muito grande porque tudo, nessa época da COVID-19, é muito novo, tudo é muito urgente” disse a coordenadora-geral do Cozinha&Voz, Geovana Pires.

O curso também inaugurou um novo módulo chamado “Troca de Saberes”, que incentiva o compartilhamento de conhecimentos entre as alunas e os alunos. A ideia que usem suas experiências profissionais e as habilidades que dominam para ensinar os colegas de turma.

“Conseguir colocar em prática a execução de um projeto, em uma situação inédita de pandemia e de distanciamento social, que trabalha o indivíduo em toda sua integralidade é um desafio e ao mesmo tempo, é uma forma de seguir no propósito da declaração do centenário da OIT, de colocar o ser humano como centro de todas as ações. ”, disse Thaís Faria, Oficial Técnica de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, da OIT.

Thaís Faria, Oficial Técnica de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, da OIT

O Cozinha&Voz foi lançado no fim de 2017 como parte de uma ampla iniciativa de promoção do trabalho decente para pessoas em situações de vulnerabilidade. O projeto capacita profissionais como assistente de cozinha e promove a empregabilidade de pessoas em situação de exclusão socioeconômica. Em dois anos já beneficiou mais de 314 pessoas em seis estados brasileiros.