Futuro do Trabalho

Em 2019 a Organização Internacional do Trabalho, que é a mais antiga agência especializada das Nações Unidas, irá comemorar seu 100º aniversário. Em antecipação a esta celebração, sete Iniciativas do Centenário estão sendo implementadas, como parte de um conjunto de atividades destinadas a preparar a organização para assumir com êxito os desafios de seu mandato com relação à justiça social no futuro.

Construindo um futuro que funcione para todos

O mundo do trabalho tem a capacidade de relegar a pobreza à história, proporcionar trabalho decente e um bom padrão de vida em escala universal e ampliar a todas as pessoas a proteção contra os riscos da vida profissional. No entanto, esse potencial segue sem se tornar realidade. Os problemas de desemprego, subemprego, desigualdade e injustiça estão se agravando, em vez de se corrigirem.

Existem chamadas para uma globalização mais equitativa, um desenvolvimento equilibrado e sustentável e um crescimento econômico que impulsione o progresso social. A ação no mundo do trabalho é decisiva para alcançar esses objetivos. Ao mesmo tempo, o próprio mundo do trabalho está evoluindo rapidamente.

A OIT está se preparando para poder compreender e responder às mudanças no mundo do trabalho e para ter um papel de liderança perante o desafio global de garantir trabalho decente para todos os homens e mulheres. Nesse contexto, em 2013 o Diretor Geral da OIT expôs os desafios enfrentados pela organização no relatório Rumo ao centenário da OIT: Realidades, renovação e compromisso tripartite, que introduziu as sete Iniciativas do Centenário.

Iniciativa do Centenário sobre o Futuro do Trabalho

O mundo do trabalho se encontra em meio a um grande processo de mudança, impulsionado por várias forças de transformação: desde a evolução das tecnologias, passando pelo impacto das mudanças climáticas, até as constantes mudanças na produção e no emprego, por exemplo.

Para que a OIT consiga entender estes desafios e elaborar respostas eficazes para impulsionar seu mandato a favor da justiça social, o Diretor Geral da organização lançou a Iniciativa do Centenário sobre o Futuro do Trabalho, que procura envolver a estrutura tripartite da OIT numa ampla discussão sobre o assunto, além do mundo acadêmico, da sociedade civil e de outros atores relevantes e interessados.

Como parte desta iniciativa, todos os Estados Membros da OIT foram convidados a organizar diálogos nacionais sobre o futuro do trabalho em quatro áreas temáticas: trabalho e sociedade, trabalho decente para todos, a organização do trabalho e da produção e a governança do trabalho. Os resultados dessas conversas informarão o Comitê de Alto Nível da OIT sobre o Futuro do Trabalho, junto com relatórios regionais que explorarão o contexto político e socioeconômico de cada região do mundo e facilitarão a cooperação com organizações regionais e sub-regionais sobre o futuro do trabalho. Também serão realizadas consultas com uma ampla variedade de públicos, além dos constituintes tripartites.

Em maio de 2016, o Escritório da OIT no Brasil realizou em Brasília o primeiro diálogo nacional, sobre o tema “organização do trabalho e da produção”. Em novembro de 2016, a OIT organizou em parceria com a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) um seminário que uniu dois diálogos num mesmo dia, sobre os temas “trabalho e sociedade” e “trabalho decente para todos”. O quarto e último diálogo nacional do Brasil deve acontecer em maio no Rio de Janeiro.

Outras iniciativas

Além da Iniciativa do Centenário sobre o Futuro do Trabalho, foram lançadas outras seis Iniciativas do Centenário:
  • Iniciativa para o Fim da Pobreza, para promover uma resposta multidimensional através do mundo do trabalho, dos mercados de trabalho e da proteção social e do emprego para erradicar a pobreza no mundo.
  • Iniciativa sobre Mulheres no Trabalho, para examinar o lugar que as mulheres ocupam no mundo do trabalho e suas condições de trabalho, envolvendo trabalhadores, empregadores e governos em ações concretas para transformar em realidade a igualdade de oportunidades e de tratamento.
  • Iniciativa Verde, para reforçar em toda a OIT os conhecimentos, o assessoramento em políticas e as ferramentas para administrar uma transição justa para um futuro sustentável, com baixas emissões de carbono.
  • Iniciativa sobre Normas, para consolidar o consenso tripartite sobre um sistema de controle reconhecido e melhorar a relevância das normas internacionais do trabalho através do mecanismo de revisão das normas.
  • Iniciativa sobre Empresas, para estabelecer uma plataforma de colaboração entre a OIT e as empresas que contribua para a sustentabilidade delas e para os objetivos da OIT.
  • Iniciativa sobre Governança, para reformar as estruturas de governança da OIT, avaliando o impacto da Declaração de 2008 sobre a Justiça Social e adotando medidas de acordo com os resultados e conclusões de tal avaliação.